2 de mai de 2012

"Pode alguém colocar fogo no peito sem queimar a roupa?"


Há muita poesia nesta pergunta e há muitas possibilidades contidas nela.
Quem coleciona cicatrizes de fogo ou quem um dia ousou tocar nele, sabe que a resposta é não!
E é difícil, uma vez ter sido queimado, falar a outro que não acenda a chama.
Cada um sabe das fogueiras que alimentam seus olhos...

Há muita verdade no velho e tão repetitivo ditado: "Quem procura, acha!" E é quase que impossível você se deixar queimar por algo que você mesmo busca ou cobiça, sem que isto não te consuma a fundo, não te consuma por inteiro; uma vez que você já se deixou arder no coração... Sim! O grande perigo é a fagulha, pois uma vez acesa, dificilmente se apagará sem antes fazer um belo estrago.

Tudo o que atravessa os olhos, encontra espaço no coração.
Tudo que chega ao coração, atravessa o corpo inteiro.
E tudo o que mora lá, a boca trata logo de revelar que tipo de chama corre o seu corpo.

Quem nunca deixou tal fogo consumir sua roupa toda, que seja o primeiro a lançar o extintor!
O coração é realmente uma fonte perigosa, porque a partir dele, podemos queimar o ser inteiro.

Por outro lado, há corações rompendo como represas, sem o próprio dono saber o poder da fonte que habita em si.
Se tivesses um coração, saberias usá-lo? E por que tendo-o não usas?

Quando um fogo estranho dar sinais de fumaça, trate logo de apagá-lo.
Tome conta do seu coração, antes que você vire brasa por algo que nem vale a pena padecer...

Quem tem a pele derretida, sabe a dor que foi...

Nenhum comentário: